sobre nós

A inexistência de departamentos de Estudos de Performance em Portugal, ou mesmo de grupos de discussão de uma forma mais ou menos sistematizada, bem como a escassez de bibliografia traduzida para português, nem sequer dos textos de referência, participa de uma quase ausência de produção de discurso crítico nesta área do saber. Para além de eventos muito fragmentados e pontuais, considera-se relevante participar na construção de uma comunidade de práticas que desenvolva projectos à luz do paradigma dos estudos de performance.
Ancorada na realidade portuguesa e em resposta a uma ‘falta’ (à inexistência do campo no país) foi, no entanto, no diálogo com os pares internacionais que a ideia se forjou: como poderiam ser os Estudos de Performance em português? Numa altura em que os Estudos de Performance se mundializam, é de todo o interesse escutar outras vozes, outros textos, outras abordagens, descentrando-se e reinventando-se noutras línguas.
Articular o discurso e as práticas nacionais com o discurso internacional parece-nos não só urgente como, porventura, uma das poucas vias possíveis de manter activo o espírito crítico e a criatividade artística num panorama de desânimo generalizado. A nossa contribuição é, assim, não apenas a de abrir um espaço de discussão artística alargada mas também de fomentar o posicionamento crítico desses discursos.
Nós pertencemos a uma geração que nasce com a Revolução democrática de Abril de 1974, quando se derrubou 48 anos de autoritarismo ditatorial e viu o colapso do império colonial português, nascendo na emergência de uma nova identidade nacional e europeia. Trinta anos de democracia, seguidos de uma europeização um pouco amnésica (e agora, com o discurso da austeridade) não parecem bastar para superar o legado de um longo período de censura, medo e isolacionismo.
Desta forma, dado o contexto político, económico e académico português, consideramos ser de grande importância a implementação dos Estudos de Performance como forma de engajamento na necessária crítica política. Dada a natureza do campo de estudos, questionando e debatendo diferentes perspectivas, o nosso intuito é contribuir e criticamente activar a discussão na sua dimensão internacional a partir de temas emergentes deste contexto particular, interposto num mundo globalizado.