Ricardo Seiça Salgado

baldio no AND_lab
ETNOGRAFAR PRÁTICAS NAS ARTES PERFORMATIVAS
O jogo dos métodos de pesquisa e a qualidade da etnografia
Ricardo Seiça Salgado
SESSÃO I | 20 de Março
No processo de uma etnografia que fiz a um curso organizado por um grupo de teatro universitário (com vários workshops distintos entre o teatro e a dança, visando a preparação de um actor-bailarino), foram testadas várias formas de observar participando com distintas formas de registo: notas de texto, fotografias, vídeo, fazendo com todos, entrevistando, convivendo com os formandos, usando a foto-eliciação depois da formação, lendo os documentos de um arquivo em construção. Partindo do estudo de caso, esta sessão levantará questões sobre o jogo dos métodos de pesquisa no contexto das práticas artísticas performativas. Servirá para revelar algumas ansiedades que emergem do acto de registar e inquietações resultantes da experiência de investigação que lhes está associada, porque isso coloca em causa a qualidade de uma etnografia.

Cada método de pesquisa da etnografia como acção enquadra um papel do investigador no terreno e pode jogar com uma multiplicidade de registos possíveis. Na combinação dos papéis com as formas de registo, de fazer as ditas “notas de campo”, apura-se informação diferenciada. Para um determinado enigma e contexto de análise de uma investigação ajustam-se os métodos de pesquisa, entre os papéis e a forma de registar, jogando com as possibilidades de cruzamento. Abdicar de uma determinada forma de registo pode ter consequências na qualidade etnográfica o que nos obriga a pensar na gestão que fazemos entre os diferentes métodos de pesquisa. Há mesmo uma margem muito ampla e difícil de controlar plenamente dos fenómenos de emergência que resultam de uma determinada combinação ou estratégia metodológica. A performatividade da metodologia activa e constrói uma sensibilidade performativa pertinente para a qualidade da etnografia.
Como relacionar os métodos de pesquisa etnográfica e as diferentes metodologias teatrais ou coreográficas? Que tipos de dados emergem em diferentes metodologias teatrais ou coreográficas? Diferentes modos de registar eliciam diferentes tipos de informação? E se usarmos metodologias teatrais como método de pesquisa?